MEMÓRIAS DO VALONGO NA QUADRA DA PORTELA


fan1Salve, salve!

Depois de fazer grande sucesso e ser visitada por milhares de pessoas no Museu Janete Costa de Arte Popular, em Niterói, a exposição “Memórias do Valongo: capoeira, identidade e diversidade” atravessa a Ponte e será inaugurada no Departamento Cultural da Portela – Centro de Memória, na quadra da tradicional azul e branco carioca, nesta sexta-feira, dia 31 de janeiro, às 22h.

Com curadoria do professor Wallace de Deus Barbosa (UFF/MJCAP), a mostra reúne fotografias da artista niteroiense Maria Buzanovsky, além de objetos de capoeira produzidos pelo Mestre Dois Cruzeiros (Athayde Parreiras Neto) e artefatos arqueológicos relacionados às recentes escavações para as obras do Porto Maravilha, no Rio, que revelam a história submersa do Cais do Valongo, antigo escoadouro de africanos e que será mostrado pela Portela na Marques de Sapucaí em 2014 como o enredo: “Um rio de mar a mar: do Valongo à Glória de São Sebastião”, de Rogério Rodrigues. O desfile está sendo cuidadosamente preparado pelo carnavalesco Alexandre Louzada.

Em 2013, esta mesma exposição integrou a programação da 7ª Primavera dos Museus, do IBRAM, que teve como tema: Museus, Memória e Cultura Afro-Brasileira e buscou contribuir para a aplicação da Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino da história e da cultura africana e afro-brasileira no Ensino Básico.

O Cais do Valongo – Lugar de relevante destaque na memória afro-brasileira, por onde passaram cerca de meio milhão de africanos, o Cais do Valongo recebe, nos dias de hoje, as Rodas de Capoeira do Kabula Rio, grupo que integra o Coletivo de Capoeira Conexão Carioca, cuja Roda é usada como forma de ativar este episódio da história, da memória e da cultura negra no Brasil.

fan2

A revitalização da região portuária carioca revelou parte importante dessa história. Durante as escavações, foram descobertos os dois ancoradouros, um sobre o outro, onde foi achada uma grande quantidade de objetos de uso pessoal, especialmente amuletos e objetos de culto vindos do Congo, Angola e Moçambique. Entre os materiais encontrados e que estão sendo catalogados, estão partes de calçados, pratos, cacos cerâmicos, jogos de búzios para prática religiosa dos escravos e botões feitos com ossos, além de adornos pessoais confeccionadas pelas escravas com fibra de piaçava.

SERVIÇO:

  • Exposição: “Memórias do Valongo: capoeira, identidade e diversidade”
  • Local: Departamento Cultural da Portela – Centro de Memória (Quadra da G.R.E.S. Portela)
  • Endereço: Rua Clara Nunes, 81/ sala 16, Madureira, Rio de Janeiro-RJ
  • Abertura: 31 de janeiro (sexta-feira), às 22h
  • Visitação: De 1º a 28 de fevereiro de 2014
  • Horário: quartas, a partir das 20h; sextas, a partir das 22h; e durante todos os eventos e atividades realizados na Quadra da Portela
  • Entrada franca
  • Informações: (21) 3529-7089 ou 2489-6440

curta marques

Felipe Araujo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s