MUSEU DO SAMBA GRAVA DEPOIMENTOS DE ÂNGELA NOGUEIRA E CELSINHO DE ANDRADE, DA PORTELA


Salve, salve!museu

Como parte do projeto de salvaguarda da memória do samba, o Museu do Samba grava, neste sábado, 17 de outubro, mais duas entrevistas com personalidades cariocas para o projeto “Depoimentos”, que já registrou cerca de 90 gravações em vídeo com nomes representativos do universo do samba e das escolas de samba do Rio de janeiro. Nesta edição, Ângela Nogueira, viúva de João Nogueira e mãe de Diogo Nogueira, e o compositor Celsinho de Andrade, da Portela, são os convidados a contarem suas memórias, trajetórias e curiosidades vivenciadas nas rodas de samba e nas agremiações carnavalescas.

O projeto “Depoimentos” é aberto ao público e a entrada é gratuita. Interessados podem fazer reservas de lugares pelo e-mail contato@museudosamba.org.br ou se inscrever na hora, no local do evento, de acordo com a lotação do auditório. O Museu do Samba (antigo Centro Cultural Cartola) fica na Rua Visconde de Niterói, 1296, na Mangueira, Zona Norte do Rio. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 3234-5777.

As entrevistas serão comandadas pelo jornalista Aloy Jupiara e pela pesquisadora Rachel Valença em dois horários distintos. Às 10h é a vez de Ângela Nogueira falar sobre seu envolvimento com o samba. Foi no quintal de sua casa que João Nogueira e outros sambistas eternizaram composições como “Das 200 pra lá”, “Nó na madeira” e “Súplica e canto do trabalhador”. Também em um destes encontros foi fundado o Clube do Samba, que após a morte de João continuou a ser tocado pela viúva.

Às 13h é a vez de Celsinho de Andrade, compositor da Azul e Branco de Madureira, nascido e criado em uma família portelense. O compositor foi vencedor de sambas-enredos em sua escola do coração nos anos de 2007, em parceria com Diogo Nogueira, na obra “Os deuses do Olimpo na terra do carnaval: uma festa dos esportes, da saúde e da beleza”; e em “Reconstruindo a Natureza, Recriando a Vida: O Sonho Vira Realidade”. Celsinho também é o fundador do primeiro bloco carnavalesco a desfilar na quinta-feira de cinzas, o “Voltar pra quê?”, que estreou em 2002, na Cinelândia.

SERVIÇO:

  • MUSEU DO SAMBA  – Gravação para o projeto “Depoimentos”, com Ângela Nogueira e Celsinho de Andrade
  • Data: sábado, 17 de outubro
  • Horário: 10h (Ângela Nogueira) e 13h (Celsinho de Andrade)
  • Endereço: Rua Visconde de Niterói, 1296 – Mangueira
  • Entrada: Gratuita

Curta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s